Carta da Terra

"Estamos diante de um momento crítico na história da Terra, numa época em que a humanidade deve escolher o seu futuro. À medida que o mundo torna-se cada vez mais interdependente e frágil, o futuro enfrenta, ao mesmo tempo, grandes perigos e grandes promessas. Para seguir adiante, devemos reconhecer que, no meio da uma magnífica diversidade de culturas e formas de vida, somos uma família humana e uma comunidade terrestre com um destino comum. Devemos somar forças para gerar uma sociedade sustentável global baseada no respeito pela natureza, nos direitos humanos universais, na justiça econômica e numa cultura da paz. Para chegar a este propósito, é imperativo que nós, os povos da Terra, declaremos nossa responsabilidade uns para com os outros, com a grande comunidade da vida, e com as futuras gerações." (da CARTA DA TERRA)

ESCOLA PUBLICA NÃO É DE GRAÇA /// Vanessa Cabral

Prezados, não deixem de visitar este site.
Quem tem filho em idade escolar vai se interessar.
As informações nele contidas nos levam, inclusive, à reflexão sobre a questão do pagamento "dobrado" que fazemos para educar nossos filhos.

link: http://escolapublica.zip.net/


A JORNALISTA Vanessa Cabral dizia que nunca faria um blog, exceto se um dia tivesse algo realmente importante para contar. No início deste ano, ela encontrou um bom motivo para mergulhar nessa empreitada e conseguiu inovar o congestionado universo da blogosfera. Não há registro, pelo menos no Brasil, de que alguém tenha criado uma página na internet para acompanhar o cotidiano de seus filhos numa escola pública.


Irritada com o valor das mensalidades dos colégios particulares (de R$ 900 a R$ 1.500) e crítica em relação aos métodos pedagógicos, ela tomou coragem e matriculou seus dois filhos, Ian e Arthur, na escola pública (Brigadeiro Faria Lima) mais próxima de sua casa (em Perdizes). "Senti que, finalmente, tinha encontrado algo, de fato, interessante para escrever."

Ocorreu, porém, que algumas pessoas passaram a perguntar a Vanessa se ela tinha algum problema psicológico. "Quando contei ao meu grupo de meditação que meus filhos estavam estudando numa escola pública, vi olhos arregalados como se eu tivesse blasfemado."

No dia seguinte, recebeu e-mails, todos demonstrando preocupação. Num deles, uma amiga contou que sonhara que os meninos estavam correndo perigo.

A decisão de Vanessa, entretanto, foi cercada de cautela.

Além de visitar por várias vezes a escola, conversou com a direção, com a coordenação e com professores. "Senti confiança." Viu que estavam criando ações extracurriculares e que se mostravam abertos à participação dos pais. Resolveu, então, participar do conselho da escola para poder influir na gestão.

Rapidamente, ela sentiu vontade de relatar sua experiência. Descobriu um jeito de unir seu projeto educativo ao seu projeto jornalístico, dando uma dimensão digital à maternidade.

Para acompanhar melhor os filhos, teve de mudar sua vida profissional. Acertou um horário mais flexível na Redação em que trabalha (da revista "Poder", editada por Joyce Pascowitch).

Até agora, seu blog tem sido favorável à escola. Ela vem mostrando que há aspectos positivos apesar das dificuldades. Num dos textos, mostrou-se satisfeita ao ver um dos filhos fazer um projeto com base no quadro "Guernica", de Picasso.

Seus textos não só ajudam a desmontar preconceitos como também, ao mesmo tempo, mostram que a entrada da classe média nas escolas públicas pode melhorar a fiscalização dessas instituições.

Um dos projetos de Vanessa é que o blog(http://escolapublica.zip.net/) seja um fórum de discussão que atraia as outras mães e pais de alunos da escola, mas, por enquanto, os leitores são seus amigos e conhecidos, cujos filhos estão em escolas particulares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Informação & Conhecimento